Oportunidades:

Saiba como a cobrança pode abrir portas para oportunidades de negócio:

Quando falamos em uma operação de cobrança empresarial, é inegável que uma das primeiras coisas que vem em mente é a tentativa, muitas vezes a qualquer custo, de reaver valores devidos por clientes. Mas, nem de longe, essa é a abordagem mais adequada. Por um motivo bem simples: ao mirar apenas o imediato, que é a quantia em dinheiro em questão, a empresa deixa de conduzir o tema de forma racional e esquece que é necessário pensar no futuro, ou seja, em novas oportunidades de negócio que podem ser desperdiçadas dessa forma.

Nesse momento, você pode estar se perguntando: mas se o cliente está devendo dinheiro, como vou considerar uma nova oportunidade de negócio com ele? Estamos falando de um parceiro comercial ruim, que pode dar muito prejuízo, certo? Sim e não. Não podemos ignorar o fato de que dever é um problema e que isso gera um desgaste na relação. É normal que o primeiro impulso seja desconfiar desse cliente, afinal, você precisa do dinheiro e fechou um acordo contratual (cheque, boleto e outros)

No entanto, a questão aqui é que não podemos levar isso sempre a ferro e fogo. Pense na sua realidade. Pode ser que você nunca tenha devido ou atrasado o pagamento a alguém, mas, se isso aconteceu, foi por oportunismo e má-fé? Certamente que não! Agora pense em seu cliente com a mesma ótica da sua empresa. É certo que a grande maioria daqueles que eventualmente fiquem inadimplentes não tenha feito isso para tirar algum proveito. Esse parceiro pode ter tido um problema no planejamento, no volume de vendas ou mesmo com atraso de seus clientes.

Então, se a realidade é de que muitos clientes inadimplentes estão tendo problemas, é correto tratá-los apenas em tom forte de cobrança? Claro que não! Se eles estão deixando de quitar seus pagamentos por algum contratempo, quer dizer que não são os péssimos devedores que se pode imaginar deles. Então, é possível e adequado mantê-los por perto e, assim, fomentar novas oportunidades de negócio a partir de um processo de cobrança.